Sindicato discute reformas e Greve Geral com bancários do BB e da Caixa

Nas reuniões, o Sindicato ressaltou que as reformas também atingem a categoria bancária Nas reuniões, o Sindicato ressaltou que as reformas também atingem a categoria bancária
quinta-feira, 27/04/2017

O diretor Antonio Pereira da Silva explica
os riscos para funcionários do Banco do Brasil

As reformas das leis trabalhistas e da Previdência foram temas de reuniões realizadas nestes dias 26 e 27 de abril pela diretoria do Sindicato de Apucarana nas agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

O diretor Antonio Pereira da Silva, que também é professor de Economia, falou aos bancários e bancárias a respeito das mudanças na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) que poderão ocorrer caso a reforma trabalhista seja aprovada também no Senado.

Ele abordou também a reforma da Previdência e apontou como as alterações nas regras atingirão a Classe Trabalhadora se forem aprovadas na forma proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB).

“Ressaltamos aos funcionários do BB e da Caixa que essa luta também é deles, pois vários pontos das reformas interessam muito aos bancos, como, por exemplo, o parcelamento das férias, terceirização e a ampliação da jornada de trabalho, dentre outros”, relata.

Por isso, nas reuniões os bancários e bancárias foram convidados a participar da Greve Geral deste dia 28 de abril para reverter essa situação pela qual passa o Brasil.

A concentração ocorrerá a partir da 9h00 na Praça da Catedral de Apucarana. Compareça!

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE