BANCO DO BRASIL

Atividades em três agências marcam luta contra descomissionamentos na base de Apucarana

Agnaldo Gonçalves, diretor do Sindicato de Apucarana, entrega o informativo "O Espelho" a funcionária do BB em Arapongas Agnaldo Gonçalves, diretor do Sindicato de Apucarana, entrega o informativo "O Espelho" a funcionária do BB em Arapongas
quinta-feira, 14/02/2019

A diretoria do Sindicato de Apucarana promoveu atividades em três agências de sua base territorialnesta quinta-feira (14/02) no Dia Nacional de Luta contra os descomissionamentos de funcionários do Banco do Brasil 

Além de debater o problema com funcionários e funcionárias, foi distribuído nas agências de Apucarana, Arapongas e de Jandaia do Sul o informativo “O Espelho” abordando mais essa política de desrespeito que integra o processo de reestruturação que está sendo imposto ao banco.

José Roberto Brasileiro, presidente do Sindicato de Apucarana, disse que essa onda de descomissionamentos amplia o clima descontentamento já existente nas unidades por conta da sobrecarga de serviços, metas abusivas e incertezas quando ao futuro.

 

“Não dá para admitir esse descaso do banco com os critérios estabelecidos para a GDP (Gestão de Desenvolvimento por Competências), deixando que superintendentes possam pedir a retirada de funções de funcionários que nem mesmo conhecem”, critica Brasileiro, salientando que assim o BB inverte o papel dessa ferramenta, que passou a ser utilizada como justificativa para descomissionar qualquer trabalhador.

Conforme prevê o Acordo dos funcionários do Banco do Brasil, Aditivo à Convenção Coletiva da categoria bancária, são necessárias três ciclos avaliatórios consecutivos de GDP com desempenhos insatisfatórios para levar à dispensa de função ou de comissão de funcionário do BB.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE