Bradesco anuncia fechamento de quatro agências na base de Cornélio Procópio

Na foto, de 2014, a agência do então HSBC em Andirá foi alvo de protesto do Sindicato de Cornélio Procópio contra demissões Na foto, de 2014, a agência do então HSBC em Andirá foi alvo de protesto do Sindicato de Cornélio Procópio contra demissões
quinta-feira, 10/08/2017

O cenário previsto pelo movimento sindical quando o Bradesco iniciou as negociações, no ano passado, para adquirir os ativos do HSBC no Brasil, começa a se tornar realidade, com milhares de demissões de funcionários e funcionárias este ano e, nos últimos meses, com o fechamento de unidades em todo o País.

O banco anunciou que na base do Sindicato de Cornélio Procópio serão encerradas as atividades de agências nas cidades de Santo Antonio da Platina, Jacarezinho, Andirá e Bandeirantes.

A unidade de Andirá já tem data para fechar: dia 18 de agosto. Em relação às demais o Bradesco ainda não informou quando serão cerradas as portas.

Carlos Alberto Martins, diretor do Sindicato de Cornélio Procópio, afirma que os bancários e bancárias estão temerosos quanto ao futuro, já que primeiro o banco lançou o PDVE (Plano de Desligamento Voluntário Especial) e agora está fechando agências.

“É visível o clima de pânico entre os funcionários, que não sabem qual destino que o Bradesco está preparando pra eles. O pesadelo que começou com a compra do HSBC parece não ter fim”, ressalta.

Para Martins, essa medida visa reduzir custos para o banco que obteve lucro líquido de R$ 9,4 bilhões no primeiro semestre deste ano e também vai penalizar o atendimento dos clientes e usuários, pois restará apenas uma das duas agências que o Bradesco tem na cidade

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE