Assembleia dia 16/09, em Curitiba, decidirá rumos para a Associação Brasil

Assembleia dia 16/09, em Curitiba, decidirá rumos para a Associação Brasil
quarta-feira, 13/09/2017

Sócios da Associação Brasil, antiga Associação Bamerindus, participarão no sábado (16/09), em Curitiba, de Assembleia para deliberar a respeito da venda de parte dos clubes para recuperar finanças da entidade

A Associação vem enfrentando dificuldades financeiras há cerca de um ano, desde quando o Bradesco comprou o HSBC e extinguiu os aportes mensais de R$ 340 mil para ajudar nas despesas com os 20 clubes existentes no País. 

No auge da AB, os clubes eram palcos de várias festas e eventos como a Bamerinfest (Curitiba), Rock na Praia (Florianópolis), Festa do Vinho e Queijo (São Paulo), dentre outros, mas salvo raras exceções, os clubes estão praticamente paralisados. 

A venda, segundo Valdecir Cenali, diretor do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Bradesco, vai ser de sedes subutilizadas com a finalidade de fazer caixa para viabilizar melhorias necessárias em outras, como a construção de chalés, equipes de recreação para crianças, a volta da realização das festas, barbearia e manicure, dentre outros serviços e facilidades.

“Como muitos associados de Londrina e Região não poderão ir a Curitiba, eu colhi procurações e enviei ao nosso representante para que vote de acordo com nossos interesses”, explica.

Na assembleia em Curitiba para deliberação das vendas e consequentemente viabilização das reformas. Também será proposta uma mudança no atual estatuto que determina que o patrimônio dissolvido seja destinado aos associados e não à União.

“Entendemos que o patrimônio deva ir para os associados que contribuíram durante décadas para a AB", reforça Sérgio Siqueira, diretor da Contraf-CUT. "É importante que todos estejam atentos e participem dos próximos rumos da AB. Queremos uma AB forte e atuante em prol dos associados. O trabalhador quer e merece lazer e diversão de qualidade”, afirma. 

Fonte: Sindicato de São Paulo

COMPARTILHE