FORA DA LEI

Procon interdita agência do Bradesco em Londrina por demora no atendimento

A interdição da agência Praça Willie Davis ocorreu na manhã desta quinta-feira (21) A interdição da agência Praça Willie Davis ocorreu na manhã desta quinta-feira (21)
quinta-feira, 21/02/2019

O Procon (Núcleo Municipal de Defesa do Consumidor) interditou na manhã desta quinta-feira (21/02), a agência Praça Willie Davids, do Bradesco em Londrina, com base na Lei Municipal 7.614/1998, que disciplina o tempo de espera dos clientes para atendimento nos bancos.

O órgão tomou essa medida por ter recebido 11 reclamações de clientes que alegaram ter aguardado até uma hora para serem atendidos, quando o tempo máximo determinado pela Lei é de 15 minutos em dias normais e de até 30 minutos em véspera ou após feriados.

No início da tarde, o banco conseguiu uma liminar junto ao desembargador Luiz Mateus de Lima, da 5ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná.  O magistrado argumentou que "a restrição imposta pela administração pública no caso acaba por sancionar não só o banco, mas ainda mais gravemente os próprios consumidores que serão os privados dos serviços prestados na agência bancária, mostrando-se assim excessiva".

Valdecir Cenali, diretor do Sindicato de Londrina, afirma que em julho do ano passado o Procon interditou o prédio central do Bradesco, onde funcionam três agências, pelo mesmo motivo.

“A falta de funcionários é um grave problema do Bradesco, que gera não só demora no atendimento, mas também sobrecarga de serviços e, consequentemente, aumento dos adoecimentos. O Sindicato tem cobrado insistentemente a reposição de vagas para regularizar a situação, mas infelizmente o banco prefere manter essa política que depõe contra sua própria imagem perante a população sempre que os clientes resolvem procurar seus direitos, como ocorreu agora”, salienta.

Valdecir lembra que o segundo maior banco privado do País obteve lucro líquido de R$ 21,5 bilhões em 2018, mas não investe em melhorias no atendimento e muito menos nas condições de trabalho dos funcionários.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE