Atividades em Apucarana e Arapongas denunciam lucro fácil e demissões em massa

O Sindicato de Apucarana promoveu atividades em defesa dos bancários e dos clientes no Dia de Luta no Bradesco  O Sindicato de Apucarana promoveu atividades em defesa dos bancários e dos clientes no Dia de Luta no Bradesco
terça-feira, 22/08/2017

Dirigentes do Sindicato na manifestação fealizada no Bradesco em Arapongas

A diretoria do Sindicato de Apucarana realizou na manhã de hoje (22/08) manifestações em frente a agências do Bradesco no Dia de Luta dos funcionários e funcionárias do banco, convocado pela Fetec-CUT/PR.

Durante as atividades, feitas em Apucarana e em Arapongas, foi distribuído material denunciando o Bradesco pelas caras tarifas cobradas dos clientes que têm como retorno a precarização no atendimento em decorrência das demissões em massa que estão sendo feitas desde o início do ano.

“Estamos cobrando respeito do banco aos clientes e funcionários por estarem sendo explorados ao extremo. Mesmo com um lucro de 9,4 bilhões de reais em apenas seis meses, o Bradesco pretende reduzir ainda mais o quadro de pessoal com um plano de demissões voluntárias que vai gerar maior sobrecarga de serviços e mais demora no atendimento”, argumenta José Roberto Brasileiro, diretor do Sindicato de Apucarana.


Rosemari Zanin, diretora do Sindicato, entrega Carta Aberta a cliente

Segundo Brasileiro, as receitas com prestação de serviços junto com o que é arrecadado por meio das tarifas bancárias tiveram alta de 16,9% em 12 meses, totalizando R$ 11,7 bilhões. Já as despesas de pessoal subiram 29,2%, em função da incorporação dos funcionários oriundos do HSBC. Mesmo assim, em março de 2017, a cobertura dessas despesas pelas receitas secundárias do banco foi de 123,7%. “Ou seja, não tem motivos para o banco promover esse massacre aos empregos e esfolar ainda mais os clientes”, avalia o diretor do Sindicato de Apucarana.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE