Sindicato mobiliza principais agências do Bradesco no Dia de Luta

Dirigentes do Sindicato de Londrina na atividade desta terça-feira (22/08) no prédio central do Bradesco Dirigentes do Sindicato de Londrina na atividade desta terça-feira (22/08) no prédio central do Bradesco
terça-feira, 22/08/2017

A mobilização em Londrina também ocorreu na agência Praça Willie Davids

A diretoria do Sindicato de Londrina realizou a distribuição do informativo Contra-Ponto na manhã desta terça-feira (22/08), no Dia de Luta no Bradesco contra as demissões em massa e por respeito aos funcionários, funcionárias, clientes e usuários.

O material produzido pela Fetec-CUT/PR foi entregue aos bancários e bancárias, bem como à população nos atos realizados na agência Centro e na Praça Willie Davids.

Valdecir Cenali, diretor do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE Bradesco, diz que o informativo revela dados sobre a elevação das tarifas cobradas pelos banco, que chegam a 400% ao ano, e denuncia as 23 demissões efetuadas nos últimos meses em todo o País.

“O Bradesco age como se não houvesse leis e demite indiscriminadamente, dá calote na Previdência Social e ainda por cima joga inúmeros bancários e bancárias para as filas do INSS por conta das pressões constantes pelo cumprimento de metas”, enumera Valdecir.


Kelly Menegon, diretora do Sindicato de Londrina, distribui o informativo durante a atividade no Bradesco

Ele recorda que o Sindicato de Curitiba ganhou ação junto ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) do Paraná, em fevereiro deste ano, que proíbe o Bradesco de promover demissões em massa, mas mesmo assim as dispensas estão ocorrendo de forma generalizada e o banco até lançou um PDVE (Plano de Desligamento Voluntário Especial) para acelerar o enxugamento do quadro.

Clique aqui para ler mais sobre a ação do TRT/PR.

Para Regiane Portieri, presidenta do Sindicato de Londrina, é preciso construir uma mobilização nacional para combater as demissões em massa que o banco vem encaminhando desde que incorporou a rede do HSBC.

“Na base de Londrina tivemos no primeiro semestre 19 cortes de pessoal, o que resultou no aumento dos serviços nas agências, oferecendo riscos à saúde dos bancários e bancárias”, afirma. Segundo Regiane, sozinho, o Bradesco demitiu em 2017 muito mais funcionários do que o Itaú e o Santander juntos.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE