Bradesco encerra hoje (22/09) atividades em três agências da base do Sindicato

Faixa na porta comunica o encerramento, hoje (22/09), das datividades de uma das duas agências que o Bradesco tem Bandeirantes Faixa na porta comunica o encerramento, hoje (22/09), das datividades de uma das duas agências que o Bradesco tem Bandeirantes
sexta-feira, 22/09/2017

Nesta sexta-feira (22/09), agências do Bradesco localizadas em Bandeirantes, Jacarezinho e em Santo Antonio da Platina, cidades da base territorial do Sindicato de Cornélio Procópio, encerraram suas atividades

Nesta sexta-feira (22/09), agências do Bradesco localizadas em Bandeirantes, Jacarezinho e em Santo Antonio da Platina, cidades da base territorial do Sindicato de Cornélio Procópio, encerrarão suas atividades, conforme prevê o processo de reestruturação interna do banco para adequar a rede às unidades do antigo HSBC.

Carlos Alberto Martins, diretor do Sindicato de Cornélio Procópio, afirma que a preocupação da entidade é com a manutenção dos empregos dos bancários e bancárias das agências que estão sendo fechadas.

“O Sindicato vai acompanhar este processo e defende a realocação dos funcionários que tiverem sobreposição de funções para que sejam aproveitados em outras unidades. Não vamos admitir que essa reestruturação resulte em demissões em massa”, ressalta.

Martins lembra que apenas três bancários aderiram ao PDVE (Plano de Desligamento Voluntário Especial) e houve o fechamento de outras duas agências nos últimos tempos, por isso existe a preocupação com a forma como o banco vai conduzir esse processo de fechamento de agências na base de Cornélio Procópio.

Reintegração de demitido

Vítima da ganância do Bradesco, um funcionário da agência de Bandeirantes foi demitido após três dias do término da estabilidade a que tinha direito para tratamento de saúde, mas o Sindicato de Cornélio Procópio não aceitou fazer a homologação da rescisão de seu contrato de trabalho.

Segundo Carlos Alberto Martins, a diretoria da entidade vai lutar pelo emprego deste funcionário que atuava no caixa da agência e ainda está em tratamento, por isso não pode ser dispensado como se não tivesse nada.

“O Sindicato presa pela saúde dos bancários e bancárias e dos seus empregos. Neste caso, vamos tentar reverter a demissão administrativamente, mas se não for possível serão tomadas todas as medidas legais cabíveis para impedir essa injustiça”, afirma.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE