Sindicato protesta contra metas inatingíveis e falta de pessoal no Bradesco

No protesto, o Sindicato denunciou a falta de funcionários e o acúmulo de serviços nas agências No protesto, o Sindicato denunciou a falta de funcionários e o acúmulo de serviços nas agências
terça-feira, 24/04/2018

A diretora Zoraide Sanches distribuindo o jornal ContraPonto aos clientes e usuários

Material produzido pela Fetec-CUT/PR denuncia a política de retrocesso que está em curso no Bradesco

A atividade do Sindicato de Apucarana no Dia Estadual de Luta dos Funcionários do Bradesco foi realizada nesta terça-feira (24/04) na principal agência do banco na base territorial da entidade.

Além do retardamento da abertura do expediente, foi distribuído o jornal Contraponto com informações a respeito da falta de funcionários no banco, da Campanha Nacional Unificada e os reflexos da reforma trabalhista nos direitos da categoria bancária.

“O Bradesco assumiu o pagamento dos segurados do INSS e comprou o HSBC, mas não se preocupou em manter um número de bancários e bancários suficiente para dar conta da enorme demanda de serviços, pelo contrário, lançou um plano de demissões voluntárias. O resultado disso é o aumento do movimento nas agências, imposição de metas inatingíveis e muita pressão, que somados estão sufocando os trabalhadores”, afirma José Roberto Brasileiro, presidente eleito do Sindicato de Apucarana.

Segundo Brasileiro, apesar de saber que a situação nas agências está insuportável, o banco não está fazendo nada para solucionar os problemas, por isso o Coletivo de dirigentes sindicais da Fetec-CUT/PR decidiu mobilizar as bases para pressionar o Bradesco a negociar com os Sindicatos.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE