Fetec-CUT/PR denuncia Bradesco por demora no atendimento

Sindicatos constataram que em algumas agências a espera pelo atendimento demora até quatro horas Sindicatos constataram que em algumas agências a espera pelo atendimento demora até quatro horas
segunda-feira, 28/05/2018

Na manhã desta segunda-feira (28/05), a Fetec-CUT/PR protocolou junto ao Procon estadual solicitação de fiscalização nas agências bancárias do Bradesco quanto ao tempo de espera para atendimento e, ainda, de pedido de reunião junto à entidade para que os Sindicatos de bancários possam contribuir nesse processo de verificação se a legislação está sendo cumprida pelo banco.

No entendimento da Fetec, os Sindicatos podem atuar intermediando denúncias e orientando a população prejudicada pelo descaso do Bradesco com o atendimento sobre como proceder contra o banco. O objetivo do movimento sindical bancário é alertar a população que a culpa pelas filas e pela demora no atendimento não é dos trabalhadores bancários, e sim da gestão do Bradesco, que eliminou demasiados postos de trabalho e agora está empurrando os clientes para os canais tecnológicos que são restritos para quem tem acesso à internet, lembrando que as instituições financeiras são concessões públicas prestadoras de serviço à população e que esse viés é desvirtuado pelos bancos, que só visam o lucro.

Na denúncia, que é assinada pelo presidente da Fetec-CUT/PR, Junior Cesar Dias, pela secretária geral da entidade, Daniele Perich, e pelos representantes da COE (Comissão de Organização dos Empregados) Ana Paula Lorini (Umuarama), Cristiane Zacarias (Curitiba) e por Valdecir Cernali (Londrina).

Em reunião realizada na sexta-feira (25/05), em Curitiba, os dirigentes sindicais do Bradesco no Paraná denunciaram que em algumas agências do Estado a população é obrigada a esperar por atendimento até quatro horas nas filas.

Confira documento protocolado junto ao Procon:
 

“Esta denúncia oficial ocorre após diversas outras tentativas de negociação com o banco, que incluem pedidos de reuniões ignorados ou condicionados a reuniões em São Paulo. Também fizemos manifestações e atos públicos com o atraso de abertura das agências. A partir de agora, envolvemos outras instituições, como o Procon, para que o banco seja fiscalizado oficialmente e punido por esse descaso”, afirma Cristiane Zacarias.

No dia 24 de abril, uma ação foi realizada em 22 agências do Paraná, com o objetivo de informar  a população que as filas são causadas por descaso do Bradesco e por condições de trabalho precárias. No dia 4 de maio, a Fetec encaminhou pedido de reunião junto ao banco, que não foi atendido.

Fonte: Fetec-CUT/PR

COMPARTILHE