Bradesco fecha PDVE, mas mantém processo de demissões

Dirigentes do Sindicato denunciaram a prática de demissões em massa no Bradesco Dirigentes do Sindicato denunciaram a prática de demissões em massa no Bradesco
quarta-feira, 06/09/2017

O Bradesco acabou de encerrar o PDVE (Plano de Desligamento Voluntário Especial), mas não contente com os resultados recoloca suas garras para fora e retoma a política de demissões na base de Londrina.

Para combater esse massacre ao emprego, o Sindicato de Londrina promoveu hoje (6/09) a Operação “Demitiu, Parou” no prédio central do banco na cidade em protesto contra a demissão de um gerente de contas.

“Esta foi a segunda demissão realizada nos últimos dias em nossa base territorial e ambas foram pelo mesmo motivo, chamado pelo banco de ‘conformidade’, nova forma que o Bradesco encontrou para justificar a dispensa de funcionários que não atendem ao seu perfil”, critica Regiane Portieri, presidenta do Sindicato de Londrina.

Segundo Valdecir Cenali, diretor do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Bradesco, o banco está obrigando os gerentes a entrar em contato com os clientes para renovar o cadastro e ao mesmo tempo oferecer produtos, mas como a carteira é muito grande gera acúmulo de serviços e a meta estipulada acaba não sendo alcançada.

“Essa é uma estratégia do Bradesco para manter os cadastros atualizados, o que facilita a manutenção do crédito pré-aprovado. Só que falta pessoal para fazer isso, porque houve exagero no número de demissões e, além disso, o banco lançou o PDVE, agravando ainda mais a situação nas agências. O pessoal não está aguentando esse ritmo que vem sendo impondo”, ressalta Valdecir.

Por Armando Duarte Jr. 

COMPARTILHE