Centrais pressionam presidente da Câmara a retirar projeto da pauta

Sindicalistas disseram que se a reforma não for retirada de pauta a resposta da Classe Trabalhadora será nas ruas Sindicalistas disseram que se a reforma não for retirada de pauta a resposta da Classe Trabalhadora será nas ruas
quinta-feira, 30/11/2017

Dirigentes da CUT e demais Centrais Sindicais estiveram reunidos ontem (29/11), em Brasília, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) para discutir a tramitação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 287, que altera as regras da Previdência Social.

Os sindicalistas pediram a ele que retire a proposta do governo Michel Temer (PMDB) de pauta, argumentando que as alterações nas regras vão acabar com a aposentadoria da Classe Trabalhadora.

A votação da PEC 287 estava prevista para ocorrer na sessão do dia 6 de dezembro, mas como tanto o governo, quanto o presidente da Câmara ainda não estão confiantes de que terão os 308 votos suficientes para a aprovação, a matéria ainda não tem data para ser submetida ao Plenário.

Para Regiane Portieri, presidenta do Sindicato de Londrina, essa indecisão em relação ao número de votos necessários para aprovar a reforma demonstra que é preciso redobrar as pressões contra os deputados, principalmente pela preocupação deles com as consequências de uma mudança desse vulto nos resultados das urnas nas eleições de 2018.

“É preciso aumentar a resistência contra a alteração das regras da Previdência para barrar a votação da reforma e garantir que trabalhadores e trabalhadoras possam se aposentar com dignidade”, avalia.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE