Nesta quinta (5/07) tem Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas

Nesta quinta (5/07) tem Dia Nacional em Defesa das Empresas Públicas
quarta-feira, 04/07/2018

A Classe Trabalhadora sairá às ruas nesta quinta-feira (5/07), nas principais cidades do País, no Dia Nacional de Luta em Defesa das Empresas Públicas e da Soberania Nacional.

A mobilização foi convocada pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas com o objetivo de combater ações do governo Michel Temer (MDB) voltadas para privatizar o patrimônio público, atendendo aos interesses de grupos privados nacionais e internacionais.
O Dia Nacional de Luta foi definido em reunião realizada na última sexta-feira (29), em São Paulo, com a participação de representantes dos funcionários da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Embrapa, eletricitários, petroleiros, metroviários de Minas, além de representantes de quatro centrais sindicais - CUT, CTB, Intersindical e UGT e de entidades como Contraf-CUT, Fenae, Anabb, Afbnb, Fenag e Aneac.

De acordo com a coordenadora do Comitê e representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa, Rita Serrano, a intenção é realizar atividades em todo o País para lembrar a importância das estatais.

“A liminar obtida pela Contraf-CUT e Fenae no STF (Supremo Tribunal Federal) impedindo privatizações sem a autorização do Legislativo, a suspensão do leilão da Lotex e das distribuidoras da Petrobras mostram que é preciso lutar e que é possível vencer neste momento de desmonte do patrimônio público” afirmou Rita.
O Comando Nacional dos Bancários também aderiu ao Dia Nacional de Luta e realizará um ato em defesa dos bancos públicos em São Paulo, na Praça da Sé, em frente à agência da Caixa.
O coordenador da CEE (Comissão Executiva dos Empregados da Caixa), Dionísio Reis, convoca todos os trabalhadores e trabalhadoras para a defesa do patrimônio público. “A luta em defesa do nosso patrimônio deve continuar. Assim, todos estão convocados para mais esse dia nacional de mobilização”, finalizou.

Fonte: Contraf-CUT/Fenae

COMPARTILHE