GRITO D@S EXCLUÍD@S

Aula Pública em Londrina ressalta a luta em defesa da vida

Dirigentes do Sindicato de Londrina participarem do Grito d@s Excluíd@s - Fotos: Armando Duarte Jr. Dirigentes do Sindicato de Londrina participarem do Grito d@s Excluíd@s - Fotos: Armando Duarte Jr.
domingo, 08/09/2019

A conjuntura do País foi debatida pelo representante dos trabalhadores rurais sem-terra José Damasceno, o professor Eliel Machado, a socióloga Lenir de Assis e o líder indígena Renato Kriri 

Durante a Aula Pública, os manifestantes apontaram o que "Vale para
a Vida" e o que deve ser combatido

Representantes das comunidades  indígenas também participaram
do Grito dos Excluídos em Londrina

Com a participação de aproximadamente 200 pessoas, foi realizado no dia 7 de setembro, na Praça Dom Pedro I, em Londrina, o 25º Grito dos Excluídos, que teve o tema “Vida em primeiro lugar! Este sistema não vale: Lutamos por justiça, direitos e liberdade”.

O protesto nacional do Dia da Independência mobilizou a Classe Trabalhadora, movimentos populares, Pastorais da Igreja Católica, comunidades indígenas, estudantes e a população em geral contra as políticas de retrocesso que estão em curso no Brasil, afetando direitos trabalhistas, sociais e ambientais.

Este ano, o Grito em Londrina teve um formato diferente, com uma celebração ao ar livre, seguida de uma Aula Pública, que destacou o descaso com o crime ocorrido em Brumadinho (MG). Os participantes elencaram o que Não “Vale para o sistema” e o que “Vale para a Vida”.

Sob um manto de lama, as pessoas colocaram cartazes com aquilo que consideram prejudiciais para o País, como a corrupção, censura, ditadura, desigualdades, fascismo, desrespeito com a natureza, etc.

Ao final da aula pública, coordenada pelo padre Dirceu Fumagalli, os manifestantes apontaram o que é preciso para valorizar a vida, defendendo a soberania do Brasil, a Educação Pública, aposentadoria digna e outros direitos essenciais da população que estão em risco.

“Foi muito proveitoso o formato do Grito dos Excluídos deste ano. Refletimos muito sobre tudo o que está ocorrendo no País e reafirmamos a luta pela vida em primeiro lugar e acima desse sistema perverso que aí está”, avalia o presidente do Sindicato de Londrina, Felipe Pacheco.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE