INTERESSES PRIVADOS

Governo quer começar privatizações pela Caixa

Governo quer começar privatizações pela Caixa
terça-feira, 16/04/2019

A privatização da Caixa já começou. O alerta que o movimento sindical faz há meses ficou claro nos primeiros 100 dias do da gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Após capitanear a primeira operação de privatização com a venda das ações do ressegurador IRB Brasil Re, detidas por um fundo governamental, a Caixa já engatilhou a segunda operação. Desta vez, o alvo é a participação na Petrobrás, a partir dos papéis detidos pelo FI-FGTS.

A ideia é esvaziar os fundos governamentais, um por um, para enfraquecer o banco. Na semana passada, a instituição contratou quatro instituições, além da própria Caixa, para coordenar a operação.

“Não podemos aceitar o que estão fazendo com a Caixa. Eles querem reduzir essa instituição pública que é o banco mais sólido do nosso País. A Caixa tem que se manter 100% pública e buscar sempre o crescimento para construir o desenvolvimento do Brasil”, afirmou Dionísio Reis, coordenador da CEE (Comissão Executiva dos Empregados) da Caixa.

Outros ativos estão com os dias contados, segundo já declarou a direção do banco, como a área de seguros, loterias, operação de cartões, imóveis e agências.

O leilão da raspadinha, previsto para ocorrer em 26 de março, foi remarcado para 26 de abril. É a quarta vez que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) adia o certame.

Os Sindicatos e empregados do País farão reuniões e atividades com a população falando da importância da Caixa. “Só a luta pode defender as empresas públicas a Caixa, o BNDES, o BB e os direitos que esse governo tenta arrancar e entregar aos banqueiros”, finalizou Dionísio.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE