Unidades da base de Cornélio Procópio sofrem com falta de pessoal

Com o quadro reduzido, praticamente não tem condições de atender o número elevado de clientes e usuários nas unidades da Caixa Com o quadro reduzido, praticamente não tem condições de atender o número elevado de clientes e usuários nas unidades da Caixa
quarta-feira, 21/03/2018

Agências da Caixa Econômica Federal localizadas na base territorial do Sindicato de Cornélio Procópio estão vivendo um verdadeiro caos provocado pela falta de pessoal.

Se a situação já não era adequada antes, com o lançamento pelo banco de PDVs (Programas de Desligamento Voluntário) ficou pior ainda por conta do número reduzido de bancários para dar conta das demandas existentes.

Divonzir Lemos Carneiro, diretor do Sindicato de Cornélio Procópio, afirma que nos PDVs de 2017 e 2018 saíram 28 empregados e empregadas que atuavam nas unidades da Região.

“As condições de trabalho e o atendimento nas unidades da Caixa estão muito precários. É muita gente para atender e poucos funcionários disponíveis para fazer as operações, que envolvem não só depósitos e desconto de cheques, mas também os vários programas que estão sob responsabilidade do banco, como o PIS, FGTS, habitação e diversos outros”, aponta.

Segundo Divonzir, o Sindicato já cobrou providências da Superintendência Regional, mas nada foi feito até agora, porque a Caixa não está contratando novos funcionários. “Ao invés de convocar os candidatos aprovados no concurso de 2014, como está previsto no Acordo Coletivo, a diretoria da Caixa está enxugando ainda mais o quadro, dentro de um processo de desmonte, prejudicando os empregados e a população, numa total falta de respeito praticada por um banco público federal”, critica.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE