MEDIDA DE SEGURANÇA

Agências da Caixa ficarão fechadas e só atenderão serviços essenciais

Agências da Caixa ficarão fechadas e só atenderão serviços essenciais
segunda-feira, 23/03/2020

A Caixa Econômica Federal anunciou no domingo (22/03) que, a partir desta segunda-feira, em decorrência da escalada da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) no País, fechará suas portas para o atendimento ao público e vai focar sua atuação no pleno funcionamento da sala de autoatendimento, com abastecimento de numerário e processamento de depósitos. O atendimento presencial no interior das agências será somente para saque de INSS/Seguro desemprego/Seguro Defeso/Abono salarial/FGTS para quem não possui cartão e senha, ou tenham que efetuar o desbloqueio de cartão e senha da conta.

As agências iniciarão o expediente com uma hora de antecedência para atender os clientes do grupo de risco que precisem realizar os serviços necessários à sobrevivência da população, considerados essenciais conforme previsão do decreto 10.282/2020.

Pedido do movimento sindical

Na sexta-feira (20/03), o Comando Nacional dos Bancários havia enviado um ofício ao banco reivindicando medidas para evitar as aglomerações no banco, a fim de resguardar a segurança e a saúde dos empregados, clientes e usuários.

“O banco tomou a decisão correta. Neste momento, é preciso resguardar a saúde dos empregados, clientes e de todo o público que utiliza os serviços da Caixa”, avaliou a presidenta da Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Juvandia Moreira, que é uma das coordenadoras do Comado Nacional dos Bancários. “Vamos cobrar dos demais bancos a mesma medida”, completou.

O Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) se reúnem por videoconferência, na manhã de segunda-feira (23/03), para tratar sobre as atividades da categoria nos estabelecimentos bancários e as medidas a serem tomadas diante da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19).

“A CEE (Comissão Executiva dos Empregados) vem cobrando responsabilidade da direção da Caixa com a saúde dos empregados e usuários desde os primeiros registros da doença no Brasil. Na semana passada foram diversos casos de suspeita e alterações nos procedimentos após reivindicações dos empregados. Hoje, a direção da Caixa finalmente anuncia protocolo de forma mais responsável e evita que os empregados precisem ir aos hospitais para buscar atestado, aceitando autodeclaração de sintoma para afastamento e, por seus vice-presidentes, garantiu que a Caixa vai atender só serviços essenciais”, disse o coordenador da CEE (Comissão Executiva dos Empregados), Dionísio Reis.

“Com esses avanços, na próxima semana buscaremos firmar que não irão ao trabalho mães de crianças em idade escolar e pessoas que morem com outras que façam parte do grupo de risco”, completou o coordenador da CEE/Caixa, destacando que os empregados devem repassar aos Sindicatos os casos em que os gerentes das unidades não tiverem bom-senso.

Home office

Em seu anúncio, o banco informou que 70% dos empregados de agências serão liberados para trabalhar no home office. O banco vai disponibilizar um sistema para permitir que os empregados realizem o atendimento via WhatsApp das demais atividades operacionais das agências.

Entre estes estão todas as gestantes e lactantes, adultos com mais de 60 anos, portadores de doenças cardiovasculares, como hipertensão; diabetes; tratamento de câncer e pessoas com deficiência ficarão em casa.

Os 30% dos empregados restantes trabalharão em regime de escala semanal. Cabendo ao gerente geral, juntamente com os empregados, a definição.

Medidas de segurança

O banco informou ainda que fez uma aquisição emergencial de álcool gel para as agências que não estão conseguindo adquirir o produto localmente e que antecipará a campanha de vacinação contra gripe de julho para o início de abril.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE