Presidentes dos Sindicatos cutistas falam sobre desafios da categoria em 2018

Principais lideranças do movimento sindical bancário do Paraná durante a 20ª Conferência Estadual Principais lideranças do movimento sindical bancário do Paraná durante a 20ª Conferência Estadual
quarta-feira, 23/05/2018

O site da Fetec-CUT/PR publicou nesta quarta-feira (23/05) matéria com entrevistas de presidentes de Sindicatos de bancários que iniciaram suas gestões nos últimos meses para saber qual será a postura deles na Campanha 2018, levando em conta as dificuldades impostas pela crise pela qual passa o País e a nova legislação trabalhista.

Foram ouvidos José Roberto Brasileiro (Apucarana), Sandro Zanona (Guarapuava), Wendrel Minare (Paranavaí) e Felipe Pacheco (Londrina).

Os quatro citam os desafios específicos de suas bases, mas apontam que para mudar o cenário atual, marcado por retrocessos nos direitos e distanciamento da categoria das questões políticas, é preciso reinventar o sindicalismo e traçar estratégias para que os bancários e bancários se engajem com cara e coragem nas atividades da Campanha deste ano.

Para o presidente do Sindicato de Apucarana, é preciso esclarecer a categoria sobre as mudanças políticas atuais e chegar a um entendimento comum “Ação e união de todos também na eleição de deputados e para presidente do País”, ressalta Brasileiro.

Felipe Pacheco, do Sindicato de Londrina, afirma que a correria no dia a dia nos bancos impede que os bancários e bancárias acompanhem a conjuntura política e econômica, o que os deixam distantes dos acontecimentos. De acordo com ele, para superar essa situação é preciso modernizar os Sindicatos e aproximar a categoria das lutas.

Clique aqui para ler na íntegra a matéria “Encarar os retrocessos é o principal enfrentamento de novas direções sindicais em tempos de golpe”, publicada no site da Fetec-CUT/PR.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE