Conferência aprova reivindicações da categoria para a Campanha 2018

O evento estadual levantou as propostas de reivindicações e estratégias de luta para a Conferência Nacional dos Bancários O evento estadual levantou as propostas de reivindicações e estratégias de luta para a Conferência Nacional dos Bancários
segunda-feira, 30/04/2018

Delegação que representou o Vida Bancária
na 20ª Conferência Estadual

As reivindicações da categoria no Paraná para a Campanha Nacional Unificada 2018 foram aprovadas durante a 20ª Conferência Estadual, realizada nos dias 28 e 29 de abril, em Curitiba, com a participação de cerca de 250 delegados e delegadas das 10 bases de Sindicatos filiados à Fetec-CUT/PR.

Os debates foram feitos em comissões por banco para a definição das propostas a serem apresentadas nas negociações deste ano, com destaque para o tema Saúde. Dentre outras reivindicações está a complementação salarial ao Auxílio-doença e ao Auxílio-acidentário pagos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e a exclusão do item que discorre sobre a interrupção destes Auxílios mediante perícia médica da instituição bancária.

Em relação às demandas específicas do Banco do Brasil estão sendo propostas alterações nas resoluções da CGPAR (Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União), que recentemente diminuiu a participação dos bancos no custeio dos Planos de Saúde dos funcionários das estatais. Na Caixa Econômica Federal, além de questões sobre a saúde, estão sendo reivindicadas contratações de mais empregados para reduzir a sobrecarga de trabalho nas unidades de todo o País.

Melhorias nas condições de trabalho também é prioridade para os bancários e bancárias do Itaú, Santander, Bradesco e demais bancos privado, além de garantia de emprego e avanços em relação à saúde.

Lidiani Torrecilha Lopes Pereira, diretora do Sindicato de Cornélio Procópio e coordenadora do Vida Bancária na direção da Fetec-CUT/PR, lembra que a mobilização da categoria na Campanha 2018 tem que ser muito forte para fazer valer os direitos atuais previstos na CCT (Convenção Coletiva de Trabalho). “Resistência é a palavra de ordem para os bancários e bancárias este ano. Não podemos deixar que os bancos retirem conquistas históricas por meio da aplicação da reforma trabalhista e isto se dará com uma forte mobilização, como fizemos em 2016, quando paralisamos as atividades em milhares de agências por 31 dias”, recorda.

Eleições

As eleições de 2018 permaneceram entre as explanações finais da Conferência.  “Se nós não aproveitarmos as eleições de 2018 o que discutimos aqui na Conferência não valerá para nada. Os trabalhadores serão massacrados porque a Reforma Trabalhista tirou todos os direitos conquistados nestes 100 anos”, afirmou o ex-dirigente sindical Sérgio Athaíde.

O assunto encontra-se descrito na proposta da Coordenação Nacional que foi apresentada no evento. O item ressalta o poder do voto dos bancários dado aos candidatos comprometidos com a pauta da categoria e os projetos da classe trabalhadora.

“As eleições são decisivas na vida do trabalhador, pois há candidatos que defendem as privatizações dos bancos públicos e a retirada dos direitos previdenciários, por exemplo. Temos que estar muito atentos a isso e realizar uma Campanha Salarial forte e engajada com candidatos comprometidos com os bancários”, disse Juvandia Moreira Leite, Presidente da Contraf.

“AConferência foi um bom espaço para formação. Entender os bastidores do golpe que retira direitos dos trabalhadores é fundamental no processo eleitoral e quem está verdadeiramente do lado dos trabalhadores”, finaliza Junior Cesar Dias, Presidente da Fetec-CUT/PR

A Conferência Estadual dos Bancários do Paraná foi realizada no Espaço Cultural do Sindicato dos Bancários de Curitiba.

 Fonte: Fetec-CUT/PR

COMPARTILHE