Dia de Luta pela PLR mobiliza bancários das quatro agências de Londrina

A presidenta do Sindicato de Londrina, Regiane Portieri, acompanha a paralisação na agência Centro do HSBC A presidenta do Sindicato de Londrina, Regiane Portieri, acompanha a paralisação na agência Centro do HSBC
segunda-feira, 29/02/2016

Faixa na agência Lago Parque denuncia a postura do banco de negar o direito aos funcionários

As atividades do Sindicato de Londrina no Dia Nacional de Luta dos Funcionários do HSBC pelo pagamento da PLR estão atingindo as quatro agências e a Regional do banco inglês na cidade, que ficarão fechadas durante todo o dia.

Valdecir Cenali, diretor do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE HSBC, afirma que somente com muita pressão será possível fazer com que o banco mude seu posicionamento de não pagar este direito aos bancários e bancárias.

“Essa postura aumentou a insatisfação com a forma como o HSBC trata os trabalhadores e trabalhadoras brasileiras. Nos últimos quatro anos o banco vem agindo de forma suspeita ao dar calote na PLR, apresentando números que não condizem com a realidade e alterando as regras sem qualquer tipo de negociação com o movimento sindical”.

Valdecir afirma que independente de reestruturações ou da venda do controle acionário, os funcionários estão fazendo sua parte, cumprindo metas altíssimas, mas na hora de dividir o bolo acabam ficando com migalhas ou nada, como foi anunciado agora.

“Soa estranho o banco não apresentar os números do balanço para revelar de quanto foram as perdas. Além do mais, se as coisas estivessem tão feias assim, como explicar o valor de mercado estimado em 5,2 bilhões de dólares”, questiona.

Por Armando Duarte Jr.
 


A paralisação na agência Mister Thomas, onde também
está a Regional do HSBC em Londrina
 
O protesto pelo pagamento da PLR 2015 aos funcionários
na agência Shangri-la

 

COMPARTILHE