Vida impresso divulga campanha de combate à discriminação nos bancos

Vida impresso divulga campanha de combate à discriminação nos bancos
quarta-feira, 25/10/2017

A Campanha Nacional de Combate à Discriminação nos Bancos, lançada pela Contraf-CUT no dia 18/10, em São Paulo, é abordada na Capa da edição do Vida Bancário impresso desta semana.

Idealizada pelo CGROS (Coletivo de Gênero, Raça, Orientação Sexual e Trabalhadores e trabalhadoras com Deficiência), em parceria com a Secretaria de Comunicação da Contraf-CUT, esta Campanha visa destacar a importância do debate sobre os valores humanos à sociedade como um todo, não apenas ao movimento sindical.

De acordo com a Contraf-CUT, objetivo é valorizar os bancários e bancárias de todos os gêneros, raças e com deficiência, o que não ocorre atualmente por conta de uma política arcaica ainda presente no setor financeiro.

”Isto veio em boa hora, pois estamos vivendo num momento muito delicado na sociedade, em meio a uma luta de classes na qual está sendo disseminado o ódio e a violência contra as chamadas minorias”, avalia Regiane Portieri, presidenta do Sindicato de Londrina.

Além disso, Regiane acredita que nas negociações com os bancos é preciso pressionar para que a igualdade de oportunidades se dê por inteiro, proporcionando não só a inclusão de negros e de pessoas com deficiência na categoria bancária, mas também a sua ascensão profissional, e que a mulher tenha a mesma remuneração que o homem quando executar as mesmas atividades.

O Vida informa no box superior da Capa que os quatro maiores bancos brasileiros (Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Caixa) detêm 78,65% de todas as operações de crédito executadas no País.

Há 10 anos, estes mesmos bancos tinham 54,6% do crédito, o que demonstra uma enorme concentração ocorrida neste período.

Mobilização na Caixa adia alteração do estatuto

A matéria de destaque nas páginas centrais do Vida Bancária faz um relato a respeito do Dia Nacional de Luta dos empregados da Caixa Econômica Federal, na última quarta-feira (18/10), que levou ao adiamento da votação de alterações no estatuto do banco em reunião do CA (Conselho de Administração).

Estava na pauta do CA, entre outros pontos, a autorização para que o governo Michel Temer (PMDB) venda ações da Caixa, abrindo mão da condição da União de detentora de 100% do capital do banco, além de retirar direitos dos empregados e empregadas.

Ainda a respeito da Caixa, o jornal informa como foram os debates da Audiência Pública realizada no dia 17/10, na Assembleia Legislativa do Paraná, em Curitiba, em torno da defesa dos bancos públicos.

Demitiu, Parou no Itaú

Leia na pág. 2 a mais recente Operação “Demitiu, Parou” realizada pelo Sindicato de Londrina no dia 19/10, na agência do Itaú localizada no Jardim Santo Amaro, em Cambé.

 Este ano, o Itaú já dispensou, sem justa causa, 22 bancários e bancárias que atuavam na base territorial do Sindicato de Londrina.

O Vida também faz um resumo da reunião do Grupo de Trabalho do Itaú sobre Saúde e Condições de Trabalho, que ocorreu no dia 18/10, em São Paulo.

O ponto principal da pauta da negociação com o banco foi o Programa de Readaptação ao Trabalho para funcionários e funcionárias que fizeram tratamentos de saúde.

Outra questão envolvendo saúde está na matéria sobre a implantação, pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), de um sistema digital para agilizar a tramitação de pedidos de benefícios junto ao órgão. O “INNS Digital” entrou no ar na Região do Norte do Paraná no último dia 23/10,

BB perde mais um ‘round’ na ação das gratificações

Em matéria publicada na pág. 3, o Vida divulga a nova derrota sofrida pela direção do Banco do Brasil na ação movida pela Contraf-CUT, juntamente com outras entidades sindicais, que garantiu o pagamento das gratificações/comissões dos funcionários e funcionárias que recebem este direito por 10 anos ou mais.

Ivaí Lopes Barroso, diretor do Sindicato de Cornélio Procópio e representante do Vida Bancária na Comissão de Empresa dos funcionários do BB, afirma que esta decisão da Justiça do Trabalho vem reparar os danos causados pelo banco com a reestruturação feita sem um planejamento prévio sobre as consequências, prejudicando milhares de pessoas. “O resultado disso são sucessivas derrotas da diretoria na tentativa de fazer valer essa política que sacrificou psicologicamente e financeiramente o funcionalismo".

Outra importante informação desta edição é a aceitação pelo Bradesco da reivindicação feita pela Contraf-CUT para que os funcionários e funcionárias possam transferir valores do VR (Vale Refeição) para o VA (Vale Alimentação) sem precisar pedir autorização do gestor.

Abaixo-assinado pela anulação da reforma trabalhista

As atividades realizadas pelos Sindicatos do Vida Bancária na semana passada, em suas bases, em busca de apoio ao documento que deverá ser transformado em Projeto de Lei de Iniciativa Popular propondo a anulação da reforma trabalhista são relatadas na pág. 4.

Esta campanha foi lançada pela CUT no dia 7 de setembro e objetiva reunir mais de 1,3 milhão de assinaturas para que o documento possa ser apresentado ao Congresso Nacional, onde carecerá de forte mobilização para que seja aprovado.

Tem ainda nota convidando bancários e bancárias para a 4ª Costelada de Fogo de Chão que será realizada no domingo (29/10) no CTG (Centro de Tradições Gaúchas), em Londrina.

A promoção visa arrecadar recursos para o Hospital do Câncer e o convite individual custa R$ 35,00. Interessados devem entrar em contato com o Sindicato de Londrina pelo telefone (43) 3372-8787 ou adquirir convites no Hospital do Câncer.

E a Coluna “Espaço para a Saúde” do Vida desta semana faz um alerta sobre a hanseníase, doença que afeta a pele e existe há milhares de anos, mas ainda está presente, precisando de tratamento adequado para conter seu contágio.

Clique aqui para ler na íntegra a edição nº 1.459 do Vida Bancária.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE