ASSÉDIO MORAL

GRA do Itaú em Londrina toca terror das metas nos funcionários

GRA do Itaú em Londrina toca terror das metas nos funcionários
terça-feira, 01/12/2020

Não bastassem as mudanças nas regras do programa AGIR, sem qualquer negociação prévia com o movimento sindical, os funcionários e funcionários do Itaú na base do Sindicato de Londrina estão vivendo momentos de terror com a cobertura das férias do GSO (Gerente de Suporte Operacional) pelo GRA (Gerente Geral da Área Comercial).

Segundo o Sindicato apurou, as cobranças feitas pelo gestor começam nas primeiras horas da manhã com mensagens enviadas pelo WhatsApp, em total desrespeito à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho), a qual impede esse tipo de conduta dos gestores.

Querendo mostrar serviço, o GRA está fazendo pressões abusivas pelo cumprimento de metas, configurando a prática de assédio moral, o que também é vedado e pode levar o Sindicato a abrir procedimento com base no Acordo Aditivo à CCT, que estabelece princípios para prevenir conflitos no ambiente do trabalho.

O Sindicato de Londrina está apurando as denúncias e se forem constatadas irregularidades na conduta do GRA serão cobradas providências do Itaú com base no parágrafo terceiro do Acordo de Combate ao Assédio Moral assinado pelo banco.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE