Sindicato retarda abertura do Itaú contra uso da reforma trabalhista

A principal agência do Itaú na base de Cornélio Procópio foi alvo do protesto contra a reforma trabalhista A principal agência do Itaú na base de Cornélio Procópio foi alvo do protesto contra a reforma trabalhista
quinta-feira, 01/02/2018

Dirigentes do Sindicato denunciaram o ataque do banco
aos direitos dos funcionários 

A decisão do Itaú de não mais fazer as homologações dos bancários e bancárias dispensados junto aos Sindicatos da categoria é tema dos protestos que estão sendo realizados nesta quinta-feira (1º/02) em todo o País.

Dirigentes do Sindicato de Cornélio Procópio participam desta mobilização contra a aplicação da reforma trabalhista com o retardamento da principal agência do banco em sua base. A unidade está com o expediente retardado até o meio-dia.

Lidiani Torrecilha Lopes Pereira, diretora do Sindicato de Cornélio Procópio e coordenadora da Regional Vida Bancária da Fetec-CUT/PR, acredita que toda a categoria precisa se levantar contra a utilização dos malefícios da nova legislação pelos bancos.

“Temos uma Convenção Coletiva Nacional que tem vigência até o dia 31 de agosto deste ano e não podemos abrir mão dos direitos conquistados com muita luta”, ressalta.

Lidiani salienta que a homologação dos Contratos de Trabalho é uma segurança para bancários e bancárias na hora de receber as verbas rescisórias, que serão conferidas pelos Sindicatos e prestarão as orientações necessárias aos demitidos.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE