‘CORTANDO NA CARNE’

Itaú planeja fechar 400 agências para reduzir ainda mais os custos

Itaú planeja fechar 400 agências para reduzir ainda mais os custos
quarta-feira, 15/05/2019

Numa busca doentia pelo tal índice de eficiência (menos custo por operação), o Itaú está planejando fechar as portas de 400 agências no País como forma de “se adequar à migração” dos clientes para os canais eletrônicos.

 A informação, publicada nesta terça-feira (14/05) pelos principais meios de comunicação, revela que o objetivo é aumentar a rentabilidade e reduzir aproximadamente 10% das “agências tijolo”, sendo metade nos próximos 12 meses e o restante no período seguinte.

Na última reunião de negociação com a COE (Comissão de Organização dos Empregados), realizada no dia 7 de maio, em São Paulo, representantes dos bancos afirmaram que até meados de abril foram encerradas as atividades de 35 agências e que até o dia 3 de junho outras 57 também irão parar de funcionar.

Na conta do movimento sindical, na primeira leva foram fechadas 77 unidades no País.

Segundo a Agência de Notícias Reuters, o Itaú tem 4,2 mil pontos físicos no Brasil, incluindo agências e postos de serviços, e um quadro com cerca de 100 mil bancários.

Procurado pela reportagem, o banco não quis se posicionar a respeito da redução do número de agências.

Ainda de acordo com a Agência de Notícias, a ação visa adaptar o Itaú Unibanco ao contínuo crescimento de transações bancárias e atendimento via mobile, além de sustentar os atuais níveis de rentabilidade do banco. Isto também seria uma resposta do banco ao crescimento de fintechs, que com o apoio do Banco Central estão invadindo o lucrativo mercado dos grandes bancos com serviços semelhantes e com taxas menores.

Para o presidente do Sindicato de Cornélio Procópio, Elizeu Marcos Galvão, o Itaú abandonou de vez a responsabilidade social que toda empresa de bem deve ter. “Eles só pensam em lucro cada vez mais alto, sem se preocupar com o que esse acúmulo de riquezas representa para o País ou mesmo o desgaste que essa ganância sem fim causa nos seus funcionários, sufocados com metas exorbitantes a toda hora”, critica.

Nos três primeiros meses de 2019, o Itaú obteve lucro líquido de R$ 6,9 bilhões, valor que representa um crescimento de 7,1% em comparação com o montante apurado no mesmo período do ano passado.

Fonte: Agência Reuters

COMPARTILHE