Itaú da UEL é alvo de novo protesto em defesa dos empregos

Kelly Menegon e Lupinha Moretto, dirigentes do Sindicato de Londrina, na segunda paralisação no Itaú da UEL Eem 2018 Kelly Menegon e Lupinha Moretto, dirigentes do Sindicato de Londrina, na segunda paralisação no Itaú da UEL Eem 2018
terça-feira, 20/02/2018

A agência do Itaú localizada no campus da UEL (Universidade Estadual de Londrina) está sendo alvo nesta terça-feira (20/02) de mais uma Operação “Demitiu, Parou” em 2018.

Dessa vez, o banco, detentor de lucro líquido de cerca de R$ 25 bilhões em 2017, dispensou uma gerente que está com LER/Dort e também apresenta problemas psicológicos decorrentes de seu estado de saúde, comprometido pelas pressões sofridas no local de trabalho.

Kelly Menegon, secretária de Saúde do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Itaú, afirma que a justificativa do banco para essa demissão foi a “produtividade”.

“Devido a situação desta bancária nós decidimos não homologar sua demissão e vamos buscar reverter isso administrativamente, apresentando ao banco os exames que ela tem comprovando o direito de passar por tratamento das LER/Dort e das complicações psicológicas”, explica.

Segundo Kelly, a funcionária dispensada pelo banco já havia se afastado recentemente por alguns dias e o banco sabia de sua condição, mas mesmo assim preferiu demiti-la.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE