Coletivo de Sindicatos realiza Ato contra a reforma da Previdência

O Ato Público realizado pelo Coletivo de Sindicatos reuniu cerca de 200 pessoas no Centro Cívico de Londrina O Ato Público realizado pelo Coletivo de Sindicatos reuniu cerca de 200 pessoas no Centro Cívico de Londrina
terça-feira, 20/02/2018

Mesmo com o tempo ruim e ameaça de chuva, cerca de 200 pessoas e pelo menos 20 Sindicatos de diversas categorias e militantes dos movimentos sociais participaram na segunda-feira (19/02), do Ato Londrina na Mobilização Nacional Contra o Ataque à Previdência, organizado pelo Coletivo de Sindicatos de Londrina e Coletivo Mobiliza Londrina, no Centro Cívico, onde estão localizados os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário da cidade.
A intenção foi mostrar, mais uma vez, que os trabalhadores e trabalhadoras de Londrina e da Região não aceitam a reforma da Previdência Social proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer (MDB).
Lideranças sindicais e populares se manifestaram no fim da tarde, simultaneamente às atividades realizadas em várias cidades do Brasil na mobilização nacional convocada pelas Centrais Sindicais.


Wanderley Crivellari, secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato de Londrina, falou sobre os interesses dos bancos na reforma da Previdência

O dia 19 de abril foi indicado para os protestos porque nesta data estava prevista a votação no Plenário da Câmara dos Deputados da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 287/2017, que é a reforma da Previdência, mas com a intervenção federal no Rio de Janeiro a tramitação dessa matéria foi suspensa, porque o Congresso Nacional não pode fazer qualquer alteração na Constituição enquanto vigorar este tipo de medida.
Sandro Ruhnke, presidente do Sindicato dos Eletricitários do Norte do Paraná, lembrou da necessidade da mobilização continuar para esclarecer as pessoas sobre o que significa essa reforma para os brasileiros e brasileiras, ressaltando a importância de pressionar os deputados federais eleitos pela Região de Londrina para que votem contra o fim da aposentadoria, como quer o governo Temer. 
“Quem vota a favor não vai voltar”, é o mote de campanha que o Coletivo dos Sindicatos está organizando, contra a reeleição de candidatos que são contra os interesses da Classe Trabalhadora.

COMPARTILHE