LONDRINA

Entidades protestam contra a reforma em frente ao prédio da Previdência

O Sindicato participou do protesto contra a reforma da Previdência O Sindicato participou do protesto contra a reforma da Previdência
quarta-feira, 20/02/2019

Manifestantes descacaram os principais riscos que a reforma da Previdência aos trabalhadores

Privilégios só para alguns: faixa destaca a perversidade da reforma proposta pelo governo Bolsonaro

Com a participação de diversas entidades integrantes do Coletivo de Sindicatos de Londrina, foi realizado protesto na manhã desta quarta-feira (20/02), em frente à agência da Previdência Social localizada no Centro da cidade, criticando a mudança nas regras para a aposentadoria da Classe Trabalhadora.

Com faixa e cartazes, os manifestantes pontaram as principais ameaças aos direitos que essa reforma oferece, como o aumento da idade mínima para a mulher se aposentar, passando de 60 para 62 anos de idade, e do tempo de contribuição de 40 anos.

Nas falas, os sindicalistas e populares criticaram a proposta do governo Jair Bolsonaro (PSL) por manter privilégios dos militares e dos políticos, ao mesmo tempo em que penalizará os contribuintes que mais precisam da assistência social, como os idosos carentes e pessoas com deficiência.

Para o presidente do Sindicato de Londrina, Felipe Pacheco, o principal objetivo do governo com a mudança nas regras é abrir mercado para os bancos e empresas do ramo de previdência privada.

“Esse grupo é o principal interessado nessa reforma, de olho no enorme nos inúmeros clientes que poderão ter com a criação de regras mais rígidas para a aposentadoria pública e a redução dos benefícios”, afirma Felipe.

De acordo com ele, ao conduzir a reforma da Previdência dessa forma, sem discussão com a sociedade e as Centrais Sindicais, o governo Bolsonaro também acena para os detentores dos títulos da dívida pública com maior tranquilidade em relação ao recebimento dos valiosos papeis que têm em mãos.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE