#QUEVERGONHASANTANDER

Atividade em Cornélio Procópio cobra respeito do Santander aos bancários

Johni Müller, presidente do Sindicato de Cornélio Procópio, com o funcionário da entidade, Aparecido Carlos Fernandes no protesto na agência do Santander Johni Müller, presidente do Sindicato de Cornélio Procópio, com o funcionário da entidade, Aparecido Carlos Fernandes no protesto na agência do Santander
quarta-feira, 01/12/2021

O Sindicato de Cornélio Procópio atendeu à orientação da Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) e realizou manifestação na terça-feira (30/11) na agência do Santander, denunciando a falta de funcionários, sobrecarga de serviços e precariedade no atendimento. A atividade fez parte do Dia Nacional de Luta dos Funcionários do Santander.

Segundo o presidente do Sindicato de Cornélio Procópio, Johni Oliveira Müller, foi feita reunião com os bancários e distribuído material informativo aos clientes e usuários relatando os diversos problemas decorrentes da busca incessante de lucros cada vez mais altos no Brasil.

“Nos últimos anos o Santander fechou diversas agências e demitiu milhares de bancários e bancárias, ao mesmo tempo em que registrou aumento no número de clientes. Só que ao invés de realizar contratações para se adequar à demanda, preferiu terceirizar serviços para economizar custos com pessoal”, aponta.

O resultado disso, de acordo com Johni, é o acúmulo de serviços nas agências, demora no atendimento ao público, muitas reclamações e o adoecimento dos funcionários.

Leia mais:
Santander é réu em ação do MPT sobre terceirização fraudulenta

Por Armando Duarte Jr.              

COMPARTILHE