Encontro Nacional aprova Minuta do Acordo Aditivo

Encontro dos funcionários do Santander debateu em dois dias as reivindicações específicas Encontro dos funcionários do Santander debateu em dois dias as reivindicações específicas
sexta-feira, 08/06/2018

Nesta sexta-feira (8/06) foi encerrado, em São Paulo, o Encontro Nacional dos Funcionários do Santander, com a aprovação pelos bancários e bancárias presentes da minuta do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) específico do banco, aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) da categoria, com alterações pontuais na proposta em discussão com o banco.

As reivindicações são as mesmas que a já está em negociação permanente com o banco, com poucas alterações.

“Levando em consideração o mote ‘nenhum direito a menos’, vamos lutar pela manutenção do ACT, com a atualização das cláusulas econômicas. Além disso, estamos negociando a assinatura de um Termo de Compromisso para que o banco negocie previamente com os sindicatos, federações e com a Contraf-CUT todas as vezes que for tomar alguma medida para se adequar à nova legislação trabalhista”, explicou Maria Rosani, coordenadora da COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Santander.

O banco apresentou uma proposta de regramento do ponto eletrônico que também está sendo analisada pela COE.

PPRS

O encontro também aprovou a minuta do acordo do PPRS (Programa de Participação nos Resultados Santander), que é a mesma assinada nos anos anteriores, considerando apenas a atualização dos valores a serem distribuídos aos trabalhadores.

Também fazem parte da renovação do acordo os termos de compromisso do Cabesp (Plano de Saúde dos funcionários do antigo Banespa) e Banesprev (fundo de previdência dos funcionários do antigo Banespa).

Outros eixos de atuação

Os bancários do Santander aprovaram ainda duas propostas de luta a serem apresentadas ao conjunto da categoria durante a 20ª Conferência Nacional dos Bancários, que começa nesta sexta-feira (8/06), em São Paulo.

“Os bancários do Santander vão realizar a luta em defesa da democracia, assim como pela redução das taxas de juros e tarifas de serviços bancários. Vamos torcer para que na Conferência essas lutas sejam encampadas por toda a categoria”, disse Rosani.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE