Assembleia dos banespianos aprova contas da Cabesp

A Assembleia da Cabesp também aprovou o Orçamento para 2018 A Assembleia da Cabesp também aprovou o Orçamento para 2018
quarta-feira, 09/05/2018

Foi realizada na tarde do último sábado (28/05), no Esporte Clube Banespa, em São Paulo, a primeira assembleia de prestação de contas da Cabesp (caixa de assistência dos funcionários do Santander).

Os cerca de 400 associados e associadas presentes aprovaram as contas de 2017 e a previsão orçamentária para 2018 por meio de votação eletrônica. As demonstrações mostraram um déficit operacional de R$ 478,697 milhões.

A presidenta da Cabesp, Maria Lucia Ettore do Valle, está prestes a completar um ano de mandato.

Também foi aprovada, por unanimidade e em votação simbólica, a proposta para que as assembleias da Cabesp ocorram apenas aos sábados. Segundo Rita Berlofa, diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo e vice-presidente da Afubesp (Associação dos Funcionários do Santander/Banespa), a aferição foi importante, pois a diretoria havia cogitado realizá-las durante a semana, o que já foi refutado de imediato.

Sobre a mudança no custeio, Maria Lucia relembrou que o tema será tratado em Assembleia Geral Extraordinária, que deve ser realizada no dia 30 de junho.

Encontros pelo País

Durante o tempo reservado para os debates, o presidente da Afubesp, Camilo Fernandes, relatou o trabalho que os dirigentes da associação, em conjunto com os sindicatos, têm feito para levar informações sobre o acordo construído pelas entidades e a diretoria da Cabesp para equacionar a questão do déficit operacional.

Cabesp Família

Os aumentos seguidos no Plano Família e a saída constante de usuários por conta disso foi assunto levantado pela representação dos associados. Na oportunidade, foi aprovada a criação de uma comissão para discutir esses problemas com a Cabesp e buscar soluções para a questão.

Para Vera Marchioni, diretora do Sindicato e da Afubesp e conselheira fiscal eleita da Cabesp, esse grupo de pessoas vai acompanhar atentamente a situação deste plano, que acaba de sofrer mais um reajuste, dessa vez na ordem de 16,1%.

Reclamações na rede credenciada

Um dos temas sempre reclamados em assembleias voltou a aparecer na que foi realizada no último sábado.

Além do problema na rede credenciada, que em alguns lugares – em especial no interior de São Paulo e outros Estados – não é suficiente para cumprir seu papel no cuidado à saúde dos banespianos, o diretor da Afubesp Wagner Cabanal falou sobre a demora em atender solicitações de associados em casos de extrema urgência, como liberação de ambulâncias e autorização de tratamentos, por exemplo, foram relatados pelo diretor da Afubesp, Wagner Cabanal.

Ele, que recebe diariamente inúmeros e-mails, ligações e até visitas presenciais dos banespianos cobrou providências da diretoria neste sentido. Em resposta, a Presidente da Cabesp disse que estão trabalhando para resolver esses problemas.

Saiba mais sobre o déficit da Cabesp

Esse déficit operacional, apontado por estudo atuarial, vem ocorrendo sistematicamente há alguns anos. Só em 2016 o valor foi de R$ 437,6 milhões.

Até algum tempo atrás, a rentabilidade das aplicações financeiras, que constituem o patrimônio da Cabesp, davam conta do recado. Mas a acentuada queda nos juros fez derrubar mensalmente a rentabilidade. Outro fator que pesa no aumento severo do déficit é o envelhecimento da massa segurada. Lembrando ainda que o plano está fechado. Ou seja, não entram novas vidas há mais de uma década.

Aliado a isso, está também a questão do índice de Variação de Custo Médico-Hospitalar (VCMH), conhecido como inflação médica, que capta oscilações, tanto da frequência de utilização quanto do preço médico, dos serviços de assistência à saúde. Ele é sempre mais elevado que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Para se ter uma ideia, em dezembro de 2015, o custo médico hospitalar bateu recorde, chegando a 19,3%, quase o dobro do IPCA, que ficou em 10,6%.

Fonte: Afubesp

COMPARTILHE